quarta-feira, 15 de junho de 2011

EU TENHO A FORÇA


A Caixa Econômica Federal divulgou nos jornais, semana passada, uma relação de 155 pessoas que apresentaram problemas no cadastro para se habilitarem a financiamento habitacional do programa "Minha Casa, Minha Vida", o xodó do prefeito Marcos Coelho. Para o leitor mais analítico é até assustador o número de mulheres que se candidataram a um imóvel no Residencial Portal de Fátima. Dos cadastros irregulares, são 137 mulheres que, a grosso modo, podemos considerar chefes de família, contra 18 homens.      Não se pode afirmar que é característico as mulheres apresentarem problemas cadastrais. A leitura é outra. Aquele modelo tradicional, quando o homem era considerado até pela lei como o chefe da família, caiu por terra. Hoje são as mulheres as principais referências familiares. Com a desagregação familiar, a função de chefe e cabeça do casal hoje, na maioria das vezes, é atribuída à mulher. O homem vai perdendo a importância nesse contexto e é prova inconteste das mudanças rápidas sofridas, quando a mulher passou a fazer parte da força de trabalho e na sua luta de busca de igualdade com o homem. Os tempos são outros e ainda precisamos de leis, como a Maria da Penha, para mostrar aos mais endurecidos, que o poder hoje é uma divisão, nem tanto ao meio. No fundo, com essas mudanças, o casal deve buscar e formar  parcerias. Não se admite mais a predominância masculina e a última palavra nem sempre é a do macho. Aos poucos, a mulher vai assumindo importantes posições. É o caso da presidente Dilma Roussef, mesmo sendo afilhada política de Lula, ao assumir o poder deu nova dimensão ao cargo e vem demonstrando independência na maioria de suas decisões. Ao homem resta ter a sensibilidade de aceitar essas mudanças e os dois caminharem lado a lado, na construção de uma nova sociedade.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

MUDANÇAS RADICAIS

Limírio Martins


A Rádio Araguari/Vitoriosa amanheceu nesta segunda-feira com mudanças radicais em sua programação. Limírio Martins Parreira, um dos mais veteranos locutores, foi retirado do ar. Mesmo apresentando grande índice de audiência e boa comercialização de espaço publicitário, Límirio perdeu espaço do seu programa matinal, dirigido aos apreciadores da música sertaneja, para "Oripão", personagem talentoso que a partir de agora gera seu programa a partir de Uberlândia. Outra modificação importante foi a extinção do programa Salada Mista, outro campeão de audiência da emissora em Araguari. Valmir, a partir de agora, começa o seu programa às 12 horas. O caso de Valmir é interessante. Sua saída da emissora de Salgado era tida como certa. Com a vinda do diretor geral da Rede Vitoriosa, Everton Machado, a saída de Brasileiro foi abortada, mesmo o locutor com as malas prontas para a Rádio Planalto. O programa  Salada Mista era um dos programas mais curiosos de análise política. Enquanto que Limírio tecia comentários mais governista, Wilson Prado preferia ser muito mais crítico em relação à administração municipal. Aos poucos, a programação em rede vai cavando o seu espaço na Rádio Araguari. A geração da programação em rede começa às 5:00 em Uberlândia com ORIPÃO, com o seu programa BOM DIA VITORIOSA  e continua a tarde com Fernando Garcia, a partir das 15 horas. De hora em hora entra o noticioso GUARDIÕES DA NOTÍCIA também gerado em rede.
Wilson Prado


Aos poucos Wellington Salgado vai construindo a maior rede de rádios na região. Além da concessão do SBT para as regiões de Uberlândia, Ituiutaba e Araguari, o grupo Salgado é proprietário dos títulos de dois jornais, sendo um deles o Lavoura e Comércio de Uberaba, fundado em 1896. Seu acervo foi transferido para Uberlândia, onde o grupo mantém a UNITRI, empreendimento ligado à área de educação superior. Outro título é o tradicional O TRIÂNGULO, de Uberlândia, que circulou até a década passada. 

O grupo não brinca! Quer resultados aliados à eficiência de seus funcionários. Essas mexidas não vão ficar por ai. Aguardem o próximo capítulo!


sexta-feira, 20 de maio de 2011


KABANA

A respeito da nota publicada aqui, na semana passada, quando registramos mais uma vez o fechamento do Kabana do Bosque, um leitor da coluna havia presenciado uma “cobrança” do promotor à secretária de Planejamento que, segundo ele, ficou sem resposta. O promotor aconselhou a Tereza Grieg que o local volte a funcionar respeitando as cláusulas da licitação, ou seja, o funcionamento pleno do espaço. A concessão para o atual proprietário termina em 2019. Imagina leitor se a empresa concessionária de transporte coletivo resolvesse “parar” o serviço de transporte público? Ficaria assim?

NEM TÃO BRITÂNICOS


Circular da parte administrativa da prefeitura recomenda aos funcionários que assinam pontos de entrada e saída que não sejam tão britânicos. Aconselha a nota que os servidores não procurem ser tão exatos. Por exemplo: se o funcionário começa a sua jornada às 07h00min, que ele registre 06h58min, ou próximo a este horário e que a saída deve ser compensada, para cumprir sua jornada de trabalho. Acredito que deve ser determinação de alguma auditoria que detectou que todos entram e saem na mesma hora, coisa inadmissível no Brasil. Cumprir compromissos com hora marcada em nosso país é raridade. Pelo que vejo somente bancos e concursos obedecem a essa regra que considero importante, a pontualidade. Seria uma espécie de consagração da impontualidade brasileira até nos pontos dos servidores públicos. Na verdade, difícil é o funcionário que obedece a essa regra tão comum em outros países. 

BLOQUETES


É desejo da Administração Municipal cobrir os bloquetes da Rua Rui Barbosa com asfalto. Esse piso, feito com pequenas peças de concreto, é usado até hoje e se formos avaliá-lo, atende muito bem ao tráfego intenso. É resistente e muito mais durável que a camada asfáltica. Esses bloquetes da Rua Rui Barbosa foram colocados ali na década de 60, portanto mais de 50 anos de comprovada resistência. É mexer em time que está ganhando! Araguari precisa de qualidade de vida e não de asfalto onde não é necessário. Para alguns uma modernidade o asfalto. Penso que nem tudo que é moderno é necessário. Acho os bloquetes um verdadeiro charme, diferente e ecologicamente mais correto que o asfalto, que poderia beneficiar uma rua da periferia, onde os moradores sofrem com poeira na seca e barro na chuva. Não entendo essas prioridades. Prefiro pensar no socialmente correto. Sugiro à administração que, se realmente for modificar o piso da Rui Barbosa, melhor seria desenterrar o projeto de torná-la um calçadão, que repercute muito melhor do que jogar esse manto negro, sem nenhuma necessidade. Um calçadão seria um diferencial, onde a prefeitura poderia projetar bancas de jornal, pequenos quiosques, paisagismo, banheiro público (bem cuidado) e também alguns bancos para o descanso dos transeuntes. Não podemos nivelar Araguari como uma cidade comum, pensando pequeno. Às vezes ousar é muito melhor do que cairmos na mesmice de soluções desnecessárias. O que vai acrescentar asfaltando a rua Rui Barbosa?

MÔNICA COSTA



Mônica Costa surpreende. Pelos menos a mim. Não a conhecia, pois o gênero new sertanejo, que ela canta não me apetece. Letrinhas fraquinhas e muitos gritos. Sinceramente prefiro músicas com letras mais significativas e interpretações mais colocadas. Mas são questões pessoais e eu não sou louco de ir contra a maré. O povo gosta! Nem por isso tira o brilho de Mônica Costa, em suas participações no programa Ídolos da Record. Voz bem colocada, lembrando a outra mineira Paula Fernandes e excelente presença de palco. Não consigo assistir ao programa pelo horário que é veiculado. Pela Mônica, sou capaz de torcer, me segurar e até assistir ao programa na boca da madrugada. Sabem por quê? Mônica canta bem, é de Araguari e não nega. É um momento fantástico para a nossa cidade, que sai do noticiário pesado, como aquele menino, o Rafael, que não se classificou, também no mesmo programa Ídolo. Araguari finalmente é reconhecida pelo talento de seus filhos e não pela falta de atendimento médico, IPTU inflado, oposição e situação numa guerra inútil. Temos coisas boas por aqui. Tem vida por aqui!

SANTO DE CASA?



Marcão não sabe quem anda travando as verbas já liberadas pelo estado para terminar algumas obras em Araguari. Uma delas é a da Policlínica. Mesmo com os recursos já garantidos, não há santo que faça o dinheiro cair na conta da prefeitura, principalmente os de casa. Nesses poucos mais de ano e meio de governo que faltam para Marcão completar o seu mandato, segundo analistas políticos da oposição, não seria “bom” para os próximos candidatos, o prefeito entregar obras que podem recuperar sua imagem. Verdadeiro xadrez. De repente, o desenvolvimento de Araguari fica na dependência de caprichos de alguns, que na verdade, são verdadeiros opositores da cidade. Difícil seria para Odelmo, prefeito de Uberlândia, governar sem os recursos federais conseguidos por Gilmar Machado. São de partidos totalmente opostos, mas que na hora de decidir, preferem o engrandecimento da cidade. Os santos de lá são diferentes dos de cá. Por aqui somos péssimos alunos. Não aprendemos mesmo. Passa políticos e gerações e morremos nessas picuinhas e nossa cidade amarrada. Azar demais!

MUDANÇAS


O clima que anda rondando a cidade é muito diferente das altas temperaturas que andam marcando nos termômetros dos meios de comunicação locais. É tida como certa a saída do radialista Valmir Brasileiro da programação da Rádio Araguari/Vitoriosa que, segundo a coluna EM RESUMO, do colega Márcio Marques, antecipou teria descumprido uma norma da emissora. Valmir, um dos mais antigos comunicadores do rádio local, deve voltar para a Rádio Planalto, onde iniciou sua carreira, nos anos 60 e certamente se sentirá “em casa” para produzir e apresentar um dos programas mais polêmicos do rádio local. Outro buchicho forte que corre pelos bastidores é a “eterna” venda do controle acionário da mesma Rádio Planalto, pertencente à família Belém. Um blog de Uberlândia afirmou que a emissora teria sido oferecida ao empresário Wellington Salgado, que não vê sentido em adquirir mais uma emissora de rádio em Araguari. Por outro lado, não se deve esquecer que um dos proprietários da Rádio Planalto, o assessor especial do governo do estado Raul José, dependeria muito da emissora estar em suas mãos para alavancar sua recente carreira política e o seu desejo de se candidatar às próximas eleições. 

GANHOU NA LOTERIA?


Lembram-se da história do deputado João Alves que ganhou oito vezes na loteria? Pois é! Fico impressionado com a facilidade que os políticos têm em manipular verbas públicas, muitas vezes favoráveis a eles mesmos. Esse último escândalo, que veio a público, diretamente das cortes petistas, mostrando o enriquecimento repentino do agora ministro Antônio Palocci é exemplo da forma que políticos tratam o país. Em quatro anos, o patrimônio de Palocci cresceu 20 vezes. Justifica o ministro que é resultado de uma empresa de consultoria, que praticamente todo política cria. Todos viram consultores em Brasília. Não precisamos ir muito longe. Enquanto que na capital, políticos viram consultores, por aqui alguns viram empreiteiros, ou participam veladamente dos “lucros” delas. Quantos araguarinos que entraram na política pobres e hoje, sem nenhum pudor, circulam em carros caros, proibidos para qualquer mortal. Outros tantos formaram verdadeiros patrimônios enquanto estavam “nos representando”. Fala-se em apartamento em Miami, chácaras, fazendas, ranchos maravilhosos. É de doer nos nossos bolsos quando sabemos de onde tiraram seus bens. O pior é que nada acontece, mesmo com esses sinais de riqueza repentina. Nenhuma investigação, ou melhor, quando aconteceu poucas resultaram em punição. Ainda bem que, aos poucos, são criados mecanismos de transparência administrativa e chegaremos, um dia, sermos representados por políticos sérios e realmente comprometidos com a moralidade. Vamos sonhar...

sexta-feira, 13 de maio de 2011

KABANA’S

Podemos considerar a reabertura do restaurante Kabana’s do Bosque uma vitória importante do novo governo. Na administração passada, tentou-se por duas vezes, através de licitação, chamar algum empresário que se interessasse em explorar um dos mais agradáveis locais da cidade. Marcos Alvim, mesmo empenhando-se, não conseguiu devolver à comunidade esse importante espaço. Marcão conseguiu e o restaurante foi inaugurado, depois de vultosa reforma e comemorações. O que não se imaginava é que alguns meses depois, o restaurante fecharia. Perdemos de novo, apesar do contrato determinar o seu funcionamento. Vai continuar assim, fechado? Ou terão que cumprir o contrato? Afinal é um espaço público e a cidade não pode e não deve prescindir de local tão diferenciado.
PARA REFLETIR:
 “Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Desejamos viver para a felicidade do próximo – não para o seu infortúnio. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as nossas necessidades.” Charles Chaplin

MOMENTO HISTÓRICO


Leio na Gazeta de ontem a comemoração feita no Palácio dos Ferroviários quando da assinatura da lei que destina mais de R$200 mil para a TV Integração instalar uma repetidora com sinal em alta definição. Na oportunidade, foi considerado um momento histórico!!!! Imagino que deve ser histórico mesmo para a Rede Integração, que não vai desembolsar nada para ter os seus sinais em toda a cidade, principalmente no centro. Ter o sinal digital é considerado como uma cidade desenvolvida? Ou outros fatores são mais relevantes? Aqui já fomos pioneiros na transmissão de TV a cabo, quando a municipalidade não gastou um centavo para o benefício. Pioneiros também quando tivemos aqui o primeiro cinema com projeção em 70mm, mais uma vez sem dinheiro do contribuinte. Vejo que os tempos mudaram, mas continuo com o mesmo pensamento em não misturar o público com o privado.

UM ESTRANHO NO NINHO


Prefeitura participa e promove mais uma Semana do Meio Ambiente. Não sei o porquê que a prefeitura perde tempo com isso. Deve ser para se postar de ecologicamente correta, dentro desse novo discurso, que tem que passá-lo para a prática. Não adianta nada se o discurso não coaduna com a realidade. Precisamos de políticas mais efetivas que reflitam na prática, esse “amor pela natureza”. Dias atrás, sob os olhos de todas as autoridades do ramo ou não, cometeu-se um crime ecológico, quando a administração acabou por derrubar praticamente todas as árvores da Praça Manoel Bonito. Deixou-a totalmente nua, simplesmente para restaurar um passeio. Pagou-se um preço demasiadamente alto, por não ter encontrado uma solução mais atualizada com os novos tempos. O mais interessante da historia é que foi o prefeito que a construiu nos 60 e agora fez novo estrago, dessa vez atingindo as exuberantes árvores, praticamente as únicas peças que adornavam a praça, que diga-se de passagem, não condiz com a velha fala dos antigos prefeitos, que temos as mais bonitas praças da região. Imagino o que deve estar passando na cabeça dos técnicos do meio ambiente por terem assinado o laudo que condenaram aquelas bonitas sibipirunas. Essas árvores vieram suportando, por anos, ventos, chuvas torrenciais e nunca deixaram no prejuízo qualquer cidadão das suas proximidades. Só ocuparam os passeios e os danificaram, pela necessidade de estar firmemente fincadas no solo. Qualquer cidadão contornaria o problema, menos nossos administradores que preferiram arrancá-las. O mal se corta pela raiz diz um velho ditado. Mas que mal é esse? Sempre que eu passava por ali assistia, nos feios bancos de concreto, pessoas sentadas, descansando talvez de andanças no vai e vem de pagamentos de contas, pelo centro da cidade. Ali era um oásis. Via também jogadores de damas, disputando partidas, taxistas e negociantes de carro, usufruindo de uma espécie de ar refrigerado de graça, proporcionado pelas sombras de suas copas. Não que eu queira determinar o destino das pessoas e até de nossa cidade. Não tenho poderes para tal. Se a decisão fosse minha, o destino das árvores seria outro, ou melhor, não tocaria numa folha sequer. As cabeças e os valores são outros. Uma pena!

BRECHA JURÍDICA

Exemplo dessa surdez palaciana é a recente decisão da administração ao recorrer da sentença determinando a suspensão de pagamento do IPTU e, pelo entendimento geral, das respectivas taxas. Temos a notícia que a atual administração está exultante por ter encontrado uma “brecha jurídica” na sentença da juíza Dr. Juliana Faleiro. Ao pé da letra, a sentença determina que o prefeito repita os valores do Imposto exatamente como o de 2010, que segundo o próprio prefeito foi o que menos alterou, em comparação ao ano passado. Afirmou o prefeito, em suas agora constantes entrevistas, que a filigrana jurídica que sua assessoria encontrou pode até complicar a vida do contribuinte. Parece uma grande brincadeira com o cidadão. Marcão é conhecido como um político que orienta seus passos, baseado em pesquisas de opinião. Será que o prefeito continua realizando suas pesquisas pessoais? Na verdade, Marcão deveria fazer pesquisa de satisfação, para ter ciência do ânimo dos cidadãos do município que sempre ele sonhou em governar. Que resultados ele poderia encontrar? Os seus munícipes são favoráveis ou contrários ao seu governo? Quem ganha essa guerra? É a história do “eu contra o mundo”. Marcão precisa mesmo de um bom conselheiro político. Uma pessoa capaz de lhe mostrar perdas e ganhos com determinadas decisões. É certo buscar corrigir os defasados impostos municipais. Colocá-los todo atraso e indecisões de governos passados numa só boleta vai custar ao prefeito um ônus que ele vai pagar sozinho, a despeito de técnicos e especialistas em tributação, mas sem a necessária sensibilidade política, para evitar o confronto entre o chefe do Executivo com, praticamente, toda a comunidade. No fundo, todos nós estamos perdendo essa guerra.

A VOZ ROUCA DAS RUAS


O governo Marcos Coelho não tem sido muito feliz em algumas decisões administrativas. Grande parte das medidas governamentais tem esbarrado em grande resistência, tanto da opinião pública como dos formadores de opinião. O recente exemplo do aumento do IPTU dá o tom da orquestra desafinada que toca no Palácio dos Ferroviários. Projeto aprovado, em pleno recesso parlamentar, cheios de imperfeições e inconstitucionalidades, passou debaixo dos olhos de procuradores, advogados, em detrimento da opinião dos contribuintes. Depois, a peça defeituosa desceu para a Câmara Municipal, habitada por centenas de assessores, e novamente as supostas ilegalidades passaram em brancas nuvens. Preferiram a comodidade e omissão do que contestarem os desejos do chefe do Executivo. Acredito que Marcão não foi o idealizador do projeto do novo Código Tributário. Alguém o construiu! Um grande problema dentro do serviço público é a bajulação. Muitos cantam e dançam para agradar ao chefe e isso causa desastres enormes, que começa na vaidade massageada e termina num prejuízo sem tamanho para a comunidade. Tento me colocar no lugar do prefeito. Ele busca recursos para executar seu projeto de governo. Marcão viu no IPTU, que estava totalmente desatualizado, a tábua de salvação de seu sonho em governar Araguari. O que não compreendo são essas decisões que causam comoção, perda de popularidade e críticas contundentes contra o chamado "novo modelo de administração", expressão cunhada para retratar os desacertos administrativos e políticos. Fico me perguntando: será que Marcão não possui alguém que lhe chame a atenção sobre os efeitos de suas decisões? Conheço alguns assessores que exercem alguma influência junto ao prefeito. Será que o prefeito toma as decisões sozinho? Fernando Henrique Cardoso citava a "voz rouca das ruas", aquele sussurro dos cidadãos que não se manifestam em rádios ou jornais, não são barulhentos mas que no fundo faz um estrago danado. Tenho a impressão que Marcão não deve estar ouvindo “a voz rouca” ou não quer ouvi-la.

terça-feira, 10 de maio de 2011

IPTU - CUIDADO!!!!!

No último segundo, a Justiça acata pedido de liminar proposto pelo Ministério Público e suspende a validade e consequentes obrigações do IPTU 2011. No entendimento da promotora Dra. Leila Benevides, os novos valores não poderiam ser praticados antes do dia 31 de março passado, já que feria o princípio de anterioridade da lei tributária. A discussões do novo Código Tributário começaram logo depois de sua aprovação, gerando    confusão na cabeça do contribuinte. Ao invés de questionar a constitucionalidade dos aumentos já na sua aprovação , a oposição preferiu caminho mais "festivo". Bate bocas intermináveis nas emissoras de rádio e nada de concreto. Felizmente ou não, na última hora, resolveram acionar o Poder Judiciário. A juíza Juliana Faleiros de Lacerda Ventura determinou que  se faça nova distribuição de carnês, no prazo máximo de 20 dias, tendo como base para cálculo do imposto o valor venal já existente e utilizados para a cobrança de 2010 mais o reajuste pela inflação do ano passado. Se o leitor observar, a decisão da juiza não citou descontos, que foram aprovados em lei separada pela Câmara Municipal. Não consigo visualizar, dentro do espírito da liminar expedida, tranquilidade ao contribuinte. As leis brasileiras são tão frágeis que basta uma vírgula para mudar-lhe o sentido. Aguarde o segundo capítulo!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

PREPARE-SE!!!!!!!!!!!!!



Estamos vivendo a antevéspera do processo eleitoral. Os movimentos que vemos para a sucessão do prefeito Marcos Coelho revelam-se tímido, mas consistentes. Nomes novos, acredito, talvez dois ou três. Fala-se muito em Raulzinho como forte nome. Tem feito algumas articulações e pode ter trunfos que poucos possuem, uma bela votação para deputado e a sua recente nomeação para a assessoria de Anastasia. A secretária de Educação, Eunice Mendes é citada também como potencial candidata e já ouvi comentários que ela poderia figurar de vice na chapa da possível recandidatura de Marcão. Odon Naves, ex-presidente da CDL, é citado também, mas com pouca ou nenhuma experiência política. Talvez possa ser um nome das classes empresariais. Júberson Santos encontra-se numa grande encruzilhada. É vice e até natural seria a sua candidatura a prefeito, sem grandes embates com o atual governo. Terá que aparar muitas arestas já que até o partido que hoje ele se encontra pode ser empecilho na sua pretensão. Justamente porque Alfredo Pastori, o controlador do PSL, está articulando sua provável candidatura ao Palácio dos Ferroviários. Difícil a permanência do vice Jubão no partido de Pastori. Pelo visto, Jubão terá que se acomodar em outra legenda. Um longo exercício de negociações, muitas conversas e acordos esperam por ele. Pelo menos, paciência o vice-prefeito tem. Mãe Preta deve tentar novamente alcançar o cargo mais importante da cidade. Tem seu eleitorado como também uma rejeição, podemos assim dizer que respeitável, mas não pode ser desprezado. Marcos Alvim está em campanha. Mesmo com o grande problema que deixou, o que deveria ser um Hospital Municipal, tem simpatia de grande parte do eleitorado e certamente poderá contar com aqueles com quem trabalhou na prefeitura, um contingente respeitável de cabos eleitorais. Não se pode esquecer do nome de Marlos Fernandes, que mesmo distante do palco, continua fazendo política e torna-se um nome a ser avaliado. Não me arrisco a afirmar quem estaria em melhor condição. O eleitorado araguarino sabe o que não quer. Basta examinar as últimas eleições. O resto são possibilidades. Ainda procura-se líderes e projetos viáveis para uma cidade pobre politicamente.

VAI DEVOLVER?


Vereador Sebastião Vieira, o Tiãozinho, solicita ao Executivo informações a respeito da data de admissão do então secretário adjunto Rodrigo Povoa, recentemente exonerado, e também as medidas tomadas pela administração que visem a devolução de todas as despesas e gastos motivado pela contratação irregular, contrariando a Lei Orgânica. Isso vai dar pano para manga. Aguardem!

E PARA OS CANHOTOS NADA?


A Câmara Municipal aprovou, nesta terça dia 5, projeto de lei que estabelece tratamento diferenciado aos obesos. A partir de agora, como já acontece com idosos, gestantes, deficientes físicos, os obesos terão atendimento preferencial em todas as repartições públicas, comércio e bancos. Lógico que a lei não é para qualquer gordinho. Difícil é identificar quem tem obesidade mórbida. De acordo com a Constituição, “todos são iguais perante a lei”, mas temos nossas diferenças. E como! Ninguém consegue ser exatamente nem como o seu pai ou sua mãe. Para os nervosos, apressados e apavorados ainda não criaram uma lei para atendimento privilegiado. Esses são os que mais sofrem com as filas. Agora para os canhotos nada? Estamos (eu sou canhoto) entre 5 a 10% da população, uma minoria. Sinto-me discriminado. O mundo não foi feito para os canhotos. Fico na consolação pois tenho comigo muitos famosos que fazem parte da população “gauche”. Ano passado, a revista Vírgula divulgou os canhotos mais famosos do mundo: Lady Gaga, Obama, Angelina Jolie, Beyoncé, Marilyn Monroe, Ringo e Paul (Beatles), Pelé, Kurt Cobain, Justin Bieber, Ayrton Senna e como nada é perfeito até Hugo Chaves. Talvez, num futuro próximo, descobrirão que os canhotos precisam de atenção. Dias atrás, uma aluna do curso de medicina, canhota, não foi compreendida pelo rígido professor. Ela fazia suturas com pinças e tesouras de uma maneira estranha. Simplesmente era canhota. Se tivesse uma lei de proteção aos canhotos, tudo seria mais fácil. O projeto para os obesos é de autoria do vereador Giulianno Sousa Rodrigues, o Tibazinho.

DESAFIOS E BANDEIRAS



A deputada estadual Lisa Prado veio a Araguari e anunciou a conquista de 60 leitos para o Hospital Municipal, junto ao governo estadual. Estranhamente, a deputada uberlandense não tinha conhecimento que o Hospital está interditado pela Vigilância Sanitária e o seu funcionamento depende de uma série de reparos para adaptá-lo às normas e que, até hoje, um laudo encomendado pela prefeitura não saiu das mãos de engenheiros da UFU, talvez por motivos políticos. Araguari possuía uma grande obra desafio que acabou sendo vencida. Foram necessários 4 prefeitos e 5 mandatos para dar cabo à canalização de alguns quilômetros da Avenida Teodolino, cujo primeiro trecho acabou desabando. Nota-se com tristeza que aqui tudo se torna desafio e sacrifício. O Hospital Municipal acabou virando obra desafio. E desafio não é para qualquer um. Tenha certeza, desamparado leitor dessas linhas semanais, que o tal hospital será usado como bandeira das próximas eleições. Outro desafio que vem apoquentando uma série de prefeitos é a revitalização das avenidas que circundam a cidade. Essas vias continuam provocando insegurança e vergonha, onde os carros tremem e apavoram motoristas desavisados Será que não dá para resolver? É um desafio mesmo? Engraçado que, no âmago das discussões com a Câmara, para aprovar o Projeto Somma, o governo do estado arruma verbas para asfaltar grande parte da cidade. O que não dá para entender é que essas avenidas ficarem de fora. Coisa de Araguari mesmo!

NÓ CRÍTICO

O trânsito de Araguari apresenta verdadeiros nós críticos, de difícil desenrolar ou mesmo desatar. Infelizmente, o crescimento da frota não tem sido acompanhado com medidas facilitadoras, que venham dar mais segurança e fluidez ao trânsito. Exemplo disso podemos citar aos montes. Ruas de mão dupla, estacionamento dos dois lados, provocando interrupções nas passagens entre dois veículos, semáforos dessincronizados, provocando perda de tempo e os insuperáveis quebra-molas. Nesse quesito, ainda não chegamos ao século XXI. Nosso trânsito ainda respira os ares da última grande modificação realizada no governo de Miguel Oliveira, nos anos 90. A Avenida Teodolino, principal via de escoamento de trânsito no centro da cidade, se transforma numa operação de guerra para atravessá-la, ou usar seus retornos. Na região do fórum, o motorista que deseja realizar um retorno anda centenas de metros, dá volta desnecessárias, parecidas com cidades grandes. Não somos tão grandes assim para estarmos necessitando de tanto trabalho para o motorista. É necessário facilitar a nossa vida, diminuir tempo que anda escasso. Acredito que, com a viabilização da Secretaria de Trânsito essas transformações advirão, mas que sejam rápidas. Não se pode conviver com essa verdadeira bagunça, onde o desrespeito impera. Soma-se a isso a imprudência do motorista e a sua resistente posição para obedecer regras. Não podemos continuar pensando pequeno e empurrando esse problema para as próximas administrações.

BOM DEMAIS!


Araguari ficou marcada nos anos 80, principalmente, pela realização de shows com os grandes grupos nacionais e cantores que caracterizaram os movimentos musicais dos anos 80. Com a inauguração do Ginásio Poliesportivo, abriu-se um espaço importante na realização de eventos de grande porte. Por aqui passaram artistas como Kid Abelha, Metrô, Gilberto Gil, 14 Bis, entre outros. O Clube Recreativo Araguarino ainda era o centro dos eventos fechados. Tínhamos grandes “promoters” que ali realizaram noitadas inesquecíveis para mais de mil pessoas. Podemos citar Rogério Faria, Cidinha e Giovani, as irmãs Oliveira e até esse colunista virou DJ em muitas noites patrocinadas por Luiz Humberto, animando a Boite Chic To Chic, idealizada por Luiz Alberto (Cavalhadas), infelizmente já falecido. Bons tempos aqueles! Araguari se encontrava na “boate” do Recreativo, para dançar os gostosos ritmos dos anos 80 e relembrar a Era Disco. No final dos anos 80, surgiram duas casas importantes: o Relicário e o Fole de Ouro que se especializou na nascente indústria da música sertaneja, trazendo à cidade artistas consagrados como Gian e Giovani, Christian e Ralf, Milionário e Zé Rico, Teodoro e Sampaio, Matogrosso e Mathias. Um sucesso a iniciativa de Luiz Humberto Borges, Limírio Martins e Valmir Brasileiro. O Relicário foi, sem dúvida, um dos mais bem sucedidos empreendimentos noturnos da cidade. Idealizado por Odon Naves e José Antônio Alamy, teve vida curta mas profícua. Hoje à noite acontece mais um “revival” para relembrar esses tempos da charmosa casa noturna, que funcionou num antigo palacete da Avenida Tiradentes. Momento de recordar, encontrar velhos amigos e provar que aqui já foi bom demais.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

CÂMARA NÃO VOTOU!

O aumento de 5% prometido, para o mês de maio, pelo prefeito Marcos Coelho acabou não se materializando. Os funcionários públicos municipais estão decepcionados com a posição da administração, ao mudar os critérios de reajuste dos salários. Pelo que a Imprensa comenta, Marcos Coelho prefere revisar o Plano de Cargos e Salários, pois nele pode se contemplar outras carreiras com reajustes diferenciados. Se fosse pela forma antes proposta, a diferença de índices entre médicos e os demais profissionais da prefeitura poderia ser questionado na Justiça. Pelo que foi divulgado, a administração está procurando valorizar médicos e os chamados cargos de confiança. O principio da igualdade, universalmente proposto pela Constituição de 88, é relegado a um segundo plano, quando a administração quer brindar a poucos aumentos generosos, à custa de sacrifício dos demais. Lógico que estamos passando o carro na frente dos bois, sem antes avaliar a proposição do Executivo que deverá enviá-la à Câmara. A grande maioria dos trabalhadores, que muitos querem chamar de colaboradores, espera que o assunto seja tratado com justiça pelos vereadores. Imagine, desvalido leitor, se os nobres representantes do povo, tratarem do assunto como trataram o novo Código Tributário, nos brindando com aumentos considerados históricos e fora da realidade da maioria dos contribuintes. Ainda bem que teremos eleições, ano que vem.

OBSERVAÇÃO - O prefeito Marcos Coelho, em contato telefônico, afirmou que o projeto de reajuste salarial encontra-se na Câmara para votação. Possivelmente deve entrar em vigor em 01 de maio do corrente. Marcão não comentou sobre as diferenças de reajustes entre cargos de confiança, médicos e o resto ( um resto respeitável de funcionários)

DENTISTA NÃO PEGA GRIPE


A campanha de vacinação contra a gripe, patrocinada pelo Ministério da Saúde, não prevê para dentistas e auxiliares, a vacinação contra esse vírus que incomoda e muitas vezes, retirando do atendimento esses importantes profissionais de saúde, quando são acometidos pela infecção. Um absurdo que começou em Brasília, pelos técnicos da saúde e foi aceito, sem protestos pela classe que lida com pacientes diretamente, ficando, na maioria dos casos, a poucos centímetros da cavidade oral, sujeitos a líquidos bucais provocados pelo turbilhamento dos motores odontológicos. Eu, pessoalmente, fiz meu protesto junto à regional de saúde em Uberlândia, que simplesmente acatou as determinações de Brasília, justificando estarem cumprindo uma norma de tamanha cegueira. Além da Gerência Regional de Saúde, enviei o mesmo protesto para o Conselho Regional de Odontologia, Secretaria de Estado da Saúde e a ouvidoria do Ministério da Saúde/SUS. Até o fechamento da coluna, esses órgãos não haviam se manifestado. Vacinam-se todos os profissionais de saúde, até quem não lida diretamente com pacientes e deixam os “pobres” dentistas e auxiliares fora da equipe. Um absurdo!

JOSÉ RADY



José Rady Neto é exemplo de cidadão raro nessa cidade. Atualmente o engenheiro trabalha, voluntariamente, na recuperação do projetor do antigo Cine Ritz/Apolo, que deverá se transformar no Teatro Municipal, sem muita pompa. Segundo o que ouvi dele, numa entrevista à Rádio Araguari, o projetor está praticamente em condições de voltar a operar. Marcos Coelho deve estar exultante com a economia que está fazendo. Por outro lado, é uma pena que a tela de projeção continuará ovalada, coisa de Araguari mesmo, onde as rotatórias se transformaram em quadratórias e a tela do único cinema que restou é côncava. Mesmo assim é um pequeno alento para nós. Lamentavelmente perdemos, ao longo do tempo, cinco salas de cinema. Zé Rady é filho do comerciante já falecido Michel Rady, que atuou fortemente nos anos 70 no ramo de fogões, eletrodomésticos, posto de gasolina e podemos afirmar que ele foi um dos responsáveis pela instalação da primeira repetidora de TV em Araguari, nos anos 60, quando chegou a retransmitir o sinal da então TV Triângulo, no bairro Industrial. Pelos menos agora podemos afirmar que teremos cinema. Graças ao Zé Rady e não ao Bretas.



José Rady Neto é exemplo de cidadão raro nessa cidade. Atualmente o engenheiro trabalha, voluntariamente, na recuperação do projetor do antigo Cine Ritz/Apolo, que deverá se transformar no Teatro Municipal, sem muita pompa. Segundo o que ouvi dele, numa entrevista à Rádio Araguari, o projetor está praticamente em condições de voltar a operar. Marcos Coelho deve estar exultante com a economia que está fazendo. Por outro lado, é uma pena que a tela de projeção continuará ovalada, coisa de Araguari mesmo, onde as rotatórias se transformaram em quadratórias e a tela do único cinema que restou é côncava. Mesmo assim é um pequeno alento para nós. Lamentavelmente perdemos, ao longo do tempo, cinco salas de cinema. Zé Rady é filho do comerciante já falecido Michel Rady, que atuou fortemente nos anos 70 no ramo de fogões, eletrodomésticos, posto de gasolina e podemos afirmar que ele foi um dos responsáveis pela instalação da primeira repetidora de TV em Araguari, nos anos 60, quando chegou a retransmitir o sinal da então TV Triângulo, no bairro Industrial. Pelos menos agora podemos afirmar que teremos cinema. Graças ao Zé Rady e não ao Bretas.

TALENTO

O araguarino Adriano Magal é um dos responsáveis pelo marketing da TV Paranaíba, Rede Record. A função o tem obrigado à constantes viagens. Magal traz boas notícias e uma delas é que a TV Paranaíba trará o sinal digital em HD brevemente. Não se sabe se dessa vez, a prefeitura de Araguari irá contribuir na compra de equipamentos. Adriano Magal começou sua vida profissional na então Rádio Cidade, quando se revelou como um dos mais criativos locutores e chegou a dirigir a Rádio Mais/Onda Viva. Sucesso ao conterrâneo que tem longa estrada a percorrer. Talento é que não lhe falta.

DEJA VU


Serão praticamente os mesmos atores que irão para o palco da disputa dos que querem governar a cidade. Poucos com justificativas para estarem voltando ao mesmo palco que foram obrigados a abandonar, debaixo de sonora vaia. Talvez acreditem que a platéia mudou e isso conta ponto, apostar na memória curta do eleitor. Para a comunidade, esse sabor de “deja vu”. Já pensou voltarmos com os mesmos de espetáculos passados? Precisamos apostar em projetos novos. Sabe-se que novos atores dessa peça, chamada de eleição, estão cotados para brilharem, ou não, na arena dos próximos espetáculos. Preparem-se para o show das pesquisas fabricadas, boletins anônimos, onde a vida dos candidatos serão expostas impiedosamente. Precisamos de oxigênio com atores novos, que não cheirem a mofo, que tanto tem prejudicado a cidade.

BOMBA RELÓGIO

Quando a Câmara dos Vereadores votou o novo Código Tributário, começaram as discussões em torno do aumento das taxas e impostos. Situação, oposição e Imprensa, dependendo do lado que defendem, apresentavam suas justificativas para o aumento que a oposição previa algo em torno de 300%, que agora se confirmou, A Imprensa crítica foi chamada de terrorista. Com a entrega dos carnês confirmou-se o aumento estratosférico. Instalou-se verdadeira comoção social. Revolta e mais desgaste contra a administração Marcos Coelho. O prefeito, numa longa entrevista à Rádio Araguari, tentou, de todas as formas justificar, o que para muitos, é injustificável. Mesmo com desconto de 50%, muitos cidadãos estão irados com o saldo a pagar. O prefeito busca recursos para viabilizar seu projeto de governo e chegou a afirmar que "o cidadão vai ficar feliz" com as obras que virão. A atual administração não avaliou o choque tão brutal na economia do cidadão. Preferiu os frios critérios técnicos, esquecendo-se do cidadão, que no começo do ano, é obrigado a bancar taxas e impostos diretos, além de se esquecer das despesas escolares que a maioria dos cidadãos são obrigados a arcar anualmente. A bomba foi armada e programada para detonar quando da entrega dos carnês. Além dessa verdadeira explosão atômica, o prefeito terá que enfrentar a rejeição de suas contas de 2009 e as declarações do vice-prefeito a uma emissora local, que deu os primeiros sinais de deserção do bloco da situação. As próximas eleições prometem e o prefeito deve pensar muito a respeito de sua possível recandidatura.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

QUARTA GERAÇÃO


A crise na saúde não é um “privilégio” só nosso. A saúde pública brasileira passa por momentos muito críticos e de difíceis soluções. O primeiro secretário de saúde do governo Marcos Coelho foi nomeado depois de intensas lutas de bastidores. A classe médica indicou o cardiologista Dílson Martins de Deus, que conseguiu se manter no cargo por 16 meses. Depois, Marcão preferiu uma funcionária de carreira, com vasta experiência na gerência do Programa de Saúde da Família, a assistente social Iara Cristina Borges. Na época comemorou-se o fato afirmando-se que a nova secretária não estava ligada a esquemas políticos e nem a de categorias profissionais. Seria a solução para combater a grave crise que despontava e que se abateu no governo municipal. Dias atrás, Iara entrou com pedido de licença e setores do governo afirmam que foi somente uma maneira para suavizar a saída da servidora que, de fato, quer mesmo é se demitir. No seu lugar, o secretário-adjunto Rodrigo Povoa, assumiu interinamente o comando da Secretaria de Saúde. Com a deflagração da crise com uma desnecessária queda de braço como os vereadores da oposição, descobriu-se que Rodrigo não era eleitor na cidade. O tempo fechou e não restou ao prefeito a demissão do sobrinho, pois feria-se dispositivos legais. Assume agora interinamente o médico Elpenides Barbosa, outro cardiologista, que tem a missão de não deixar o coração da secretaria parar, mesmo depois do puxão de orelhas, vindo da Gerência Regional de Saúde, que acusa a administração de não estar cumprindo metas dos programas dos governos estadual e federal. Faltando pouco mais de ano e meio para o final do atual governo, vamos para o quarto secretário, dois deles interinos, e dois adjuntos. Outros setores da administração sofreram e podem sofrer modificações importantes. Nota-se muito desconforto, queda de braços, chapa quente e uma verdadeira torre de babel instalada no poder. Melhor organizarem-se pois as eleições estão próximas.

OSSO DURO


Dias atrás ouvi no rádio uma palavra que podemos considerar um neologismo. A prefeitura constrói no cruzamento das avenidas Bahia e Minas Gerais uma rotatória, que facilitará em muito a vida dos motoristas que querem realizar a mudança de direção. Antes, o motorista que queria adentrar a Avenida Bahia teria que cumprir desvios desnecessários,  mesmo  já existindo há vários anos, não se previu uma passagem direta. O repórter discutia com o apresentador que, na verdade, a obra seria uma quadratória. No início me assustei! Nunca tinha ouvido falar em quadratória. Corri para os dicionários e nada. Não existe ainda. Acabaram de criar mais um neologismo ou neo-tucanês, quando técnicos do governo mudam siglas e expressões consagradas, por novas definições que, no fundo, tem o mesmo significado. Levantei a origem da “quadratória” e acabei sabendo que o criador da nova denominação de rotatória é de um fértil secretário muito brincalhão. Pior da história é que muitos vão na “onda” ou na novidade. Aqui somos férteis em criação de novos significados para a mesma coisa. Quem não se lembra que “trailler de lanches” aqui se transformou e consagrou-se como tutis dog. Aqui ninguém fala que vai à lanchonete e sim que vai no “tutis”. Coisa exclusivamente nossa. Outro nome consagrado é um bolinho de carne grelhado, que é o maior sucesso nos bares da cidade, que aqui chamamos de “maia” ou “malha”. Tenho a impressão que o criador da palavra “maia ou malha” se inspirou no jogo de malhas, quando o praticante do esporte lança um artefato de metal geralmente preto, redondo, buscando atingir um alvo. Se formos a outras cidades e pedir “uma maia” dificilmente seremos compreendidos e atendidos. A partir de agora passamos a fazer uma “quadratória” e não rotatória. Mas não se atreva a mandar um visitante ir pela quadratória que, provavelmente, será alvo de piadas.

ILHAS



A morte de um estudante da UFU, quando saia de um dos terminais de ônibus, na avenida João Naves de Ávila em Uberlândia, revela o risco que todos nós corremos quando as administrações resolvem ocupar espaços, sem um estudo profundo da segurança dos pedestres. Incrível como é que uma cidade tão equipada como é Uberlândia abandona os pedestres nas ilhas dessas avenidas, sem nenhuma medida que proteja quem vai atravessá-las, quando querem embarcar ou desembarcar do até moderno sistema de transporte coletivo da progressista cidade. O mesmo acontece em Araguari com a invasão de estacionamentos nos canteiros centrais das avenidas que circundam a cidade. A cada reunião da Câmara, pedidos para que se criem novos estacionamentos em locais que deveriam ser protegidos, como verdadeiras reservas ambientais, numa cidade que não respeita a natureza. Os riscos, não só ambientais, como o demonstrado em Uberlândia, podem ser evitados. Por enquanto, poucas vozes na cidade se levantam contra a ocupação desordenada dos canteiros das avenidas ou mesmo essas intenções de alguns vereadores. Pedidos que buscam a atender amigos e correligionários políticos, esquecendo da grave missão de nossa geração em preservar o planeta Terra.

PENSANDO GRANDE!



O prefeito Marcos Coelho, muitas vezes, é criticado por decisões que não agradam a maioria da população. Dá-se a impressão que certas deliberações não passam por consultas profundas, na busca do interesse público, restringindo-se às opiniões de pessoas distantes de determinados assuntos. Caso exemplar é o convênio com a TV Integração, que objetiva instalar uma repetidora em HD, com a ajuda de nosso dinheiro, mesmo a emissora cobrindo praticamente toda a cidade com o sinal digital. O convênio vai mais ao encontro da necessidade do governo municipal melhorar sua imagem junto à comunidade, com espaços garantidos na programação comercial da emissora global. Por outro lado, não se pode esvaziar a importância dos movimentos que o prefeito tem feito para encontrar solução junto aos organismos fomentadores do estado em prol da recuperação da maior indústria da cidade, o Frigorífico Mataboi. O prefeito tem se desdobrado e sabe da importância da empresa para a nossa cidade, pois ali são gerados milhares de empregos e créditos importantes em impostos que se revertem ao município. Nos meios políticos, apesar de algumas críticas, a iniciativa do prefeito está sendo muito elogiada.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

SIMPLICIDADE NÃO ABRE CAMINHOS

Quanto custa a simplicidade? Custa caro e poucos a têm. No decorrer da vida, nós vamos adquirindo manias, defeitos, como roupas que vamos dependurando ou socando dentro de um armário e, de repente, estamos carregando penduricalhos, que vão aderindo ao nosso corpo, como peles de difícil remoção, escondendo nossa essência. É o caso exemplar do araguarino Rafael José que se apresentou no programa Ídolos da Rede Record, semana passada. Primeiro, a reportagem faz bonita matéria sobre o dia a dia do trabalhador, que canta para os caminhoneiros pelo radio-amador. Veja o video acima e tira suas conclusões. No palco, um sujeito simples. Desses que está se  perdendo com a chegada de novas tecnologias. No fundo um fogão de lenha fumigante, lembrando a casa de nossos avós, onde sua mãe prepara refeições que certamente serão servidas num "buteco" perdido numa dessas rodovias, no município de Araguari.  Os jurados se encantam se emocionam. Nós, do lado de cá, achavámos que o menino iria se classificar. Que nada! A simplicidade é tanta que dois deles preferem deixar Rafael para o ano que vem. Quem sabe, esperando-o perder a simplicidade. Que preço caro pagou por ser simples. A personalidade ainda não corrompida por uma sociedade exigente, que chega às lágrimas por ainda encontrar um sujeito simples, mas que não perdoa essa naturalidade. Com uma "butina" amarela nos pés, Rafael, sem medo e resignado, afirma com um meio sorriso, que o jeito é "voltar prá roça mesmo." Cristo deixou nas Escrituras que são  " Bem-aventurados os simples de coração, porque a Sabedoria Se lhes revelará! . Que Rafael volte mesmo, ano que vem, e que não perca simplicidade, que nos marcou profundamente.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

OS CEGOS DO CASTELO


O governo Anastasia, tido como correto e ético, acaba de cometer uma barbeirada. Nomeia para o cargo de vice-presidente da Minas Gerais Participações, o exemplar  ex-deputado Edmar Batista Moreira, proprietário de um castelo no interior do estado, que nunca apareceu na sua declaração de renda. Foi absolvido pelos seus pares (que pares!!!!) da Comissão de Ética da Câmara Federal e continua firme como uma das estrelas do mundo político mineiro. Sinceramente não entendo os meandros da política com p minúsculo. Anastasia e Aécio são citados como exemplos de postura correta e respeito ao dinheiro público, como também não entendo como "aprovam"  o nome de tão ilustre mineiro, dono de uma castelo inexplicável, guindando-o ao cargo de vice-presidente da MG1. E pior: no lugar do político araguarino Marlos Fernandes, que até o ano passado era o vice dessa empresa. Marlos Fernandes, fora das últimas eleições, continua prestigiado dentro do seu partido o PPS. Só que agora, o ex-vice prefeito desce a escada do poder e dão-lhe um cargo de diretor executivo da mesma MG1, da qual foi vice.

 Perda de prestígio? Na verdade, essa empresa estatal parece que foi criada para acomodar políticos e acordos distantes do interesse público. O salário de Edmar  chega aos R$11 mil e o governo mineiro já se manifestou que o "nobre" ex-deputado terá que comparecer ao "serviço". Esse país não conserta!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

LINGUIÇA DA BOA

Preparem-se. Vamos retroceder aos tempos da lingüiça caseira, ou na pior das hipóteses, ao mercado negro. Durante a semana, foram centenas de protestos pela ação da Vigilância Sanitária estadual em Araguari, que veio na base da surpresa, fiscalizar açougues e estabelecimentos congêneres. Toneladas de carnes e centenas de dúzias de ovos tiveram seus destinos selados pela exigente equipe de técnicos locais e estaduais. Galinha agora só bota ovo carimbado, com selo do Inmetro e do SIF. Haja tecnologia genética. Piadas à parte, difícil é aceitarmos mudanças. Elas virão, tenham a certeza. Hoje, não se admite mais os alimentos serem manipulados sem os cuidados necessários para preservar nossa saúde. Muitos afirmam que comem lingüiças há anos e nunca foram vítimas de alguma doença. Não podemos contar sempre com a sorte. O preparo de alimentos exige técnicas e asseio por parte de quem os fabricam. Chorar e espernear são direitos, como é direito do consumidor exigir alimentos saudáveis. Os açougues terão que aceitar regras. Faltaram diálogo e tempo para as adaptações. Ninguém consegue, em curto espaço, se adaptar às exigências da Vigilância Sanitária. São tantas e com detalhes desanimadores. O leitor pode ter a certeza que nossos comerciantes buscarão se enquadrar nas normas legais, dando mais segurança nos produtos que consumimos.

NAQUELE TEMPO...


O secretário de Administração Levi de Almeida Siqueira recebeu ofício, mês passado, da promotora de Justiça Leila Maria Corrêa de Sá e Benevides, questionando-o e impondo um prazo de 10 dias para que a informe sobre ”as providências disciplinares que foram/serão tomadas em relação ao fato das constantes manifestações dos funcionários públicos municipais de Araguari, no horário de expediente, para reivindicar reajuste salarial”. A solicitação da ilustre promotora não ganhou notoriedade e nem repercutiu. O que se sabe, na realidade, é que oficialmente, com correspondência protocolado na prefeitura, o SINTESPA, comunicou à administração Marcos Coelho as reivindicações do funcionalismo e a paralisação que aconteceu somente por um dia, com direito a cerco policial, com sirenes abertas, uma verdadeira operação de guerra, na Praça Manoel Bonito. O fato lembrou-me os velhos tempos da ditadura militar, onde era proibida qualquer manifestação. Tenho a impressão que a promotora foi provocada para questionar o secretário da Administração e cobrar-lhe punições. O direito à manifestação pacífica é uma garantia constitucional e principalmente a que aconteceu na Praça Manoel Bonito foi totalmente dentro da lei. Até o momento, somente um dia de paralisação cujo resultado sensibilizou o prefeito que resolveu dar um pequeno reajuste. O leitor mais atento pode observar, no alto do ofício, a data equivocada da confecção da peça jurídica: 21 de setembro de 2011. O que pesou no ofício foi uma única palavra que não retrata com fidelidade a situação dos funcionários públicos; constantes, que na verdade foi uma única paralisação, que não pode ser alvo de punições. Estamos em outros tempos, não àqueles das baionetas e porões escuros.

ELPENOR VELOSO DE ARAÚJO



A cidade perdeu, nesta semana, o cidadão Elpenor Veloso de Araújo. Afastado das atividades políticas, Elpenor teve grande participação nos anos 70. Foi presidente da ARENA, partido do governo e um dos últimos remanescentes da família Araújo na política local. Filho do Coronel Durico de Araújo, foi pecuarista e empreendedor, dotando a cidade do laticínio que produziu o primeiro leite pasteurizado, da marca EVA. Teve sua importância, dentro de um contexto de mudanças importantes da vida, tanto da cidade como nacional. Depois de quase meio século dominando a política local, a família foi se afastando da política. O ex-prefeito Milton Lima, ouvido pela coluna, afirmou que Elpenor foi mais empresário que político. Possuía uma visão muito a frente do seu tempo. Empreendedor que era, Elpenor foi um dos sócios do Frigorífico Mial, que tempos depois se transformou no Frigorífico Santa Lúcia. Elpenor foi casado com dona Olívia de Ávila, filha de Calimério de Ávila, outro importante araguarino, praticamente esquecido pela história. Penso que se faz necessário um resgate da nossa rica história política. Alguém se habilita?

LACINHOS COR DE ROSA



Para deixar marcado o Dia Mundial de Combate ao Câncer, quinta-feira passada, em horário nobre, uma empresa na área de saúde de Uberlândia, levou ao ar, pela TV, uma publicidade, no mínino constrangedora. No primeiro momento, mostra uma paciente entrando nessa clínica e recebendo a confirmação de diagnóstico da terrível doença que é o câncer, quase um atestado de morte, quando diagnosticada em fase tardia. Sucedem-se imagens da paciente se submetendo à quimioterapia, terapêutica indicada para pacientes portadores de câncer. A publicidade segue, mostrando equipamentos e instalações da clínica e bem na finalização do video a paciente recebe quimioterapia. E em “gran finale” ela se levanta e o comercial conclui que a paciente está curada. Nunca vi algo nesse sentido nesses anos todos. No começo gera até um mal estar. Não deve ser fácil para um paciente receber um diagnóstico desse. E levar esse assunto para a mídia, em espaço publicitário, os cuidados devem ser dobradas. O assunto até pouco tempo atrás, era tratado de forma velada. Ninguém ousava falar que “fulano” está com câncer e sim com “aquela doença”. Veja como os tempos mudam. A fita que ilustra a nota é um símbolo da luta contra o câncer. Todos nós devemos nos basear na prevenção e tenho a impressão que a clínica uberlandense se firmou nisso, para levar o assunto assustador a todos, no horário nobre da Globo. Quem se interessar em assistir o vídeo acesse: http://www.youtube.com/watch?v=DwQ-aod1R0A&feature=player_embedded .

Um voto faz a diferença



Marcão deve estar respirando aliviado. Com o pedido de licença, protocolado pelo vereador Raul José, o prefeito pode voltar a ter relativa tranqüilidade quanto às votações de seu interesse na Câmara Municipal. O partido de Aladino Costa faz parte oficialmente do governo e deve apoiar o projeto político de Marcão. Raulzinho, desde o mês de dezembro passado, tornou-se oposicionista, aumentando para 4 o número de vereadores críticos ao governo municipal. O bloco, com Raulzinho, teve vida curta, mas com imenso barulho. A CLI da saúde teve participação importante do vereador do PV, como também as discussões sobre o aumento do IPTU. Por outro lado, ainda não é público se a posse de Aladino é líquida e certa. Segundo decisão recente, o ministro Ricardo Lewandoswi decidiu pela posse de suplente de coligação e não do suplente de partido como vinha acontecendo. Por um voto de diferença, o suplente do PV José Miranda ficou abaixo de Aladino dentro da coligação Vamos Juntos (PV PT PR). Que azar de Miranda. Só um voto faltou para o Partido Verde continuar tendo representação na Câmara de Araguari. A matemática favoreceu o prefeito, mas tenho a impressão que com a deflagração do processo eleitoral, a situação deve mudar. Há um jogo de interesses que pode tirar outros vereadores da base do prefeito.

terça-feira, 5 de abril de 2011

RINDO DE QUÊ?



Circulou nos jornais locais, semana passada, foto reunindo o prefeito, o vice e o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Nárcio Rodrigues. As matérias de nossos jornais discorriam sobre as dificuldades do Frigorífico Mataboi e que o secretário Nárcio estaria interessado em encontrar uma solução para as demissões ocorridas. Pelo clima registrado pelo fotógrafo, o leitor tem a impressão que as três importante figuras não estavam discutindo situação tão grave, que deveria ser a demissão de mais 200 funcionários na mais importante empresa araguarina. O impacto do texto não coaduna com a imagem.Todos eles com amplos sorrisos destoando totalmente do clima de extrema gravidade que tomou conta da cidade. O que me chama a atenção  é o conflito gerado pelo texto e foto. Isso é muito corriqueiro em Araguari. São defeitos de comunicação que devem ser avaliados. Muitas vezes, apresentadores de rádio e TV, lêem notícias tristes com muita euforia, causando até mal estar. O texto e a foto, gerados pela Assessoria de Comunicação, são alertas para  se evitar a repetição dessa imperfeição na comunicação.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

PATRIMÔNIO



Começamos o mês de abril com a notícia do falecimento de Oabi Gebrim. Uma perda irreparável de um homem que foi exemplo em todos os setores da vida que atuou. Como médico deixou exemplos de dedicação e solidariedade na arte de curar. Pelas suas mãos milhares de araguarinos vieram ao mundo. Trouxe para a nossa cidade, nos distantes anos 50, modernas técnicas obstétricas, revolucionando o atendimento às gestantes. Como cidadão amou Araguari com todas as suas forças, mesmo não sendo filho da terra. Teve atuação política importante, chegando à Câmara dos Vereadores por duas vezes. Sempre nas minhas dúvidas sobre fatos e pessoas da cidade eu recorria aos arquivos depositados em sua memória prodigiosa. Oabi fez parte daquele grupo de homens que buscava o bem comum. Lembro-me de suas histórias a respeito da criação do Clube de Televisão em Araguari nos anos 60. Eu admirava a tenacidade não só dele como dos outros araguarinos que queriam trazer o sinal de televisão para Araguari. Bom papo e muito cordato, baseou-se no Rotary Club, tornando uma das figuras mais respeitadas da organização. Uma de suas últimas batalhas como cidadão foi a sua participação efetiva na criação da faculdade de medicina da UNIPAC, quando lutou para a implantação do curso na cidade. Sua maior herança foi o exemplo que deixou entre nós. Cumpriu sua missão como homem, pai e cidadão. Não existe patrimônio melhor que isso!

PARA REFLEXÃO

“Dê poder ou farda a um homem e descubra quem ele é.”

À MODA

Essa imagem não é das ruas de Araguari, mas retrata com precisão a nova moda adotada pela prefeitura, para tentar conter os afobadinhos, que andam em velocidades altas, colocando em risco a vida de outras pessoas. No bairro Sibipiruna, verdadeiras curvas de nível, essas usadas para contar enxurradas nas fazendas, apareceram há duas semanas, iguais às da foto acima, numa rua praticamente deserta. Não acredito que seja a melhor solução. Se aplicassem as leis e com fiscalizações constantes não haveria necessidade de usar o expediente dos quebra-molas. Os motoristas que cumprem as regras acabam “pagando o pato”. É a solução à moda da casa. Um desrespeito sem tamanho tanto de nossas autoridades como dos cidadãos, que deveriam respeitar as regras de circulação. Na cidade, o que vem sendo feito errado há anos, torna-se lei. Num desenredo desastrado, Marcos Alvim bem que tentou criar a guarda municipal, que foi abortada pelas ilegalidades constatadas. Com um grande número de automóveis circulando pela cidade, vê-se que nossas autoridades fazem vistas grossas e preferem multiplicar os quebra-molas, esse invenção estúpida, digna de povos bárbaros. Veja o exemplo do que acontece também no bairro Sibipiruna: um semáforo e poucos metros abaixo um quebra-mola, mais alguns metros e outro quebra-molas. Isso é um exemplo gritante da situação desorientada que se encontra o trânsito da cidade. É uma guerra urbana não declarada que a prefeitura quer combater  com quebra-molas. Educação e fiscalização talvez desconstruiria esse motorista selvagem que habita em alguns cidadãos.
NEM TÃO IGUAIS!

Situação complicada criada pelo governo Marcos Coelho na tentativa de dar ânimo aos seus servidores, que estão sem aumento há anos e muito menos sem reposição das perdas salariais provocadas pela inflação. Segundo a Imprensa local, todos os funcionários públicos deverão receber em maio um aumento de 5%. Menos os médicos do Programa de Saúde da Família que terão um reajuste quatro vezes maior: 20%. A notícia abateu os ânimos dos demais funcionários que não cursaram medicina e causou certos descontentamentos. Profissionais de nível superior principalmente se sentiram desprestigiados pela administração pelo tratamento diferenciado. Hoje, com a escassez de médicos, as administrações municipais de todo o país têm procurado pagar salários mais atrativos para os profissionais médicos em detrimento de outras carreiras da mesma área. Concluindo: nem todos são iguais perante a lei.

Rádio Araguari na WEB

Finalmente, a tradicional emissora da cidade, a Rádio Araguari, se conecta com mundo. A partir de agora, o ouvinte pode se inteirar das noticias da cidade em todo o planeta, através da internet. Pertencente à Rede Vitoriosa de Rádio, a emissora é a líder em audiência em Araguari e também das demais emissoras da rede Vitoriosa de Rádio. Mesmo possuindo uma ampla área de cobertura, a internet projeta ainda mais esse importante instrumento de mídia da cidade. A pioneira em transmissão pela internet são as rádios Onda Viva e Mais FM que estão a mais tempo na web, com a possibilidade do internauta acompanhar o que acontece nos estúdios através de uma câmera instalada no estúdio. Excelente para o araguarino que reside em outros locais distantes.

IMBROGLIO



Uma tentativa de se fazer economia no governo municipal se revelou um desastre. Uma grande dor de cabeça para a administração Marcos Coelho. Até no final do governo Alvim, os tratamentos fora de domicilio (TFD) eram coordenados pela Secretaria de Saúde de maneira diferente, desde o acolhimento do paciente e acompanhante, na porta de sua casa, levando-os até os locais de tratamento. Na realidade, era um gasto enorme com veículo (combustível, manutenção), motoristas e centenas de horas extras, refeições e até diárias em hotéis. Os motoristas da Secretaria de Saúde, normalmente, eram os responsáveis pela administração da verba. Sacavam o adiantamento para viagens e recolhiam todas as notas e comprovantes, para posterior acerto, dentro das regras estabelecidas. Com a mudança de governo, achou-se melhor que quando o paciente tinha condição de locomoção, o mesmo deveria utilizar-se do transporte público, os ônibus de carreira. Só que lidar com centenas de pacientes, com diferentes níveis de entendimento, e não muito cientes das regras de manipulação de dinheiro público, criou-se um problema para o prefeito Marcos Coelho. O processo adotado pelo governo passado, muito mais oneroso para os cofres públicos, mostrou mais eficaz no momento de prestar contas e liquidação de cada viagem. O método agora adotado é recheado de boas intenções, mas não podemos nos ater somente na finalidade. O dinheiro público necessita de dados concretos, com movimentos perfeitos, para não gerar qualquer suspeita. Muitos dos pacientes que viajaram com recursos públicos deixaram de prestar contas ou apresentar comprovantes de despesas. O fato criou um rombo de R$53 mil que precisa de comprovação para evitar até um pedido de cassação do prefeito. Os vereadores da comissão fizeram a lição de casa. A principal função deles é fiscalização. Resta agora à Secretaria de Saúde correr atrás do prejuízo e provar que não houve a intenção de lesar os cofres públicos. Tarefa difícil no atual momento.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Mataboi entra com pedido de recuperação judicial

Finalmente, o Frigorífico Mataboi se manifestou a respeito da grave crise que enfrenta. Segundo nota oficial, a empresa solicitou pedido de recuperação judicial. Meses atrás, o grupo Marfrig havia consultado o BNDES sobre a possibilidade de adquirir parte do controle acionário ou até uma possível associação com a empresa araguarina, recebendo sinal verde do banco oficial.  



Veja abaixo a nota publicada no site da empresa:

"O Frigorífico Mataboi ingressou ontem com pedido de recuperação judicial em Araguari/MG, visando a rápida superação de sua passageira crise financeira, frente à maior crise da história do setor.

Seus diretores, funcionários e acionistas trabalharão com afinco para cumprir com todas as suas obrigações, buscando obter novas parcerias e especialmente manter as antigas.

É normal que muitos não tenham ainda familiaridade com tal situação, mesmo após tantas outras recuperações no nosso setor e em outros setores da economia, especialmente após a enorme crise financeira do final de 2008.

Porém, a Mataboi e seus colaboradores garantem que esta sua atual situação é plenamente reversível. Com apoio de todos, será um sucesso este seu processo de reestruturação e a empresa voltará a ser uma das mais respeitadas empresas do setor.

O processo de recuperação judicial nada mais é do que uma ferramenta de reestruturação da empresa e de seu passivo, que é exercida em conjunto e em debate com seus credores.

A empresa permanece dotada de total liberdade negocial, sendo representados normalmente por seus sócios, diretores e funcionários.

A Mataboi e seus colaboradores se encontram à disposição de todos, em seus regulares canais de contato, para qualquer esclarecimento que se fizer necessário sobre o processo de recuperação, ou para todos que queiram colaborar ou somente receber informações.

Atenciosamente, Mataboi S/A"

terça-feira, 29 de março de 2011

MATABOI EM CRISE?

Continuam desencontradas as notícias em torno do funcionamento do Frigorífico Mataboi. O silêncio da empresa contribui ainda mais para dar margem às especulações. Circula nos meios especializados informações dando conta das dificuldades que o grupo, com 5 unidades de abate em todo o país , estaria encontrando  para saldar compromissos com fornecedores. A unidade de Três Lagoas teria demitido 500 funcionários ontem. Com a demissão de 250 dos quase 1200 funcionários da unidade de Araguari, a situação pouco esclarecedora continua gerando todo sorte de comentários. Especialistas do setor  afirmam que, na realidade, o frigorífico passa por uma readequação frente à nova realidade do mercado e que o momento político nos países árabes poderia ter afetado as exportações, aliada ao clima, que estaria dificultando o transporte de gado até às unidades industriais. Hoje, o Frigorífico Mataboi exporta para mais de 60 países,  diversificou sua linha de produtos, criando uma marca para comercialização direta com o consumidor, a Di Prima. Fonte do Ministério da Agricultura está temerosa com a suspensão do abate, justamente quando uma equipe da União Europeia visita o pais, verificando a planta frigorífica de industrias e produtores ligados ao SISBOV, Sistema de Rastreabilidade Bovina.

segunda-feira, 28 de março de 2011

VIDA EM DIA


Ubaldo Roridgues do Nascimento, em contato com a coluna DROPS, afirmou que o Araguari Atlético Clube não deve praticamente nada. É um clube enxuto. Sobre a ação trabalhista comentada pela coluna, Ubaldo afirmou que a ação encontra-se arquivada. Dívidas somente herdadas da década de 70 como INSS, FGTS, não recolhidas  e de fácil negociação. Afirmou também que o Araguari não disputa competições profissionais há mais de 15 anos, portanto não assumiu despesas e nem onerou a situação do Galo da Comarca. Sobre o possível licenciamento da diretoria executiva, Ubaldo foi claro que, hoje, não possui nenhum cargo. Atua no Araguari somente como membro do Conselho Deliberativo. Boa notícia passada pelo ex-presidente que dá mais força ainda para os projetos dos novos diretores do Galo da Comarca, quando se projeta a disputa do módulo III. Será que teremos os "velhos embates" entre o Araguari e Fluminense?

sexta-feira, 25 de março de 2011

KABANA´S

Depois de uma luta sem tréguas que começou na administração Marcos Alvim, finalmente o governo Marcos Coelho conseguiu licitar o prédio do Kabana’s do Bosque e o entregou a empresários que fizeram uma portentosa reforma e o apresentou à comunidade. Desde a semana passada, o empreendimento não está mais aberto ao público. Segundo informações que apuramos, o local será destinado somente para a realização de eventos particulares. Triste direcionar um espaço público, concedido, para poucos privilegiados usufruírem do ambiente dos mais agradáveis. Lógico que a concessão dada pela prefeitura contém cláusulas e o concessionário tem direitos como a isenção de aluguéis por alguns anos. Será que é interessante manter o prédio fechado? Não seria melhor o atual proprietário passá-lo a outros empresários interessados em mantê-lo aberto?

Depois de duas das cinco árvores condenadas pela prefeitura terem sido derrubadas, o bom senso prevaleceu e elas ficaram protegidas por uma decisão judicial, continuando dando sombra a todos nós e abrigo aos pássaros, na principal Praça de Araguari. A ação conservacionista se deu graças a alguns comerciantes e moradores da Praça Manoel Bonito que conseguiram paralisar a derrubada das velhas sibipirunas, que ninguém sabe até quando continuarão com a nobre missão de nos dar guarita à sua volta. Numa foto poética, de autoria de LBadam, as árvores, em fileira, mostram todo o seu esplendor, cobrindo o passeio da praça, com milhares de pétalas amarelas, como quisesse nos estender um tapete convidativo, para nos receber em baixo de suas copas. Muitos não dão importância necessária às árvores e sua função no meio ambiente. Dão-nos sombra enquanto retém entre suas raízes o solo contra a força das águas em enxurradas. Além disso, absorve o gás carbônico produzido por veículos e seres vivos. Não consigo imaginar como uma canetada de uma autoridade condena esse pedacinho da natureza, encravada no centro da cidade, sem avaliar a importância desse patrimônio, simplesmente para refazer um passeio público. Juízo!
E A CONTA DA CAIXA?

As contas abertas pelos funcionários da prefeitura, obedecendo à determinação da Prefeitura, completam agora um ano. Agora termina o prazo que os novos correntistas teriam na isenção de tarifas. Como o negócio entre a administração Marcos Coelho e a Caixa “gorou” (lembram-se dessa palavra?) resta ao sofrido servidor público municipal correr atrás do prejuízo. Segundo orientação do Departamento de Pessoal, o funcionário deve procurar a Caixa Econômica Federal e encerrar a conta, que foi abortada por medidas judiciais do Banco do Brasil. Imagina se a Caixa queira cobrar tarifas! Será mais um desgaste para o prefeito. Complicado!

TODOS OS SOBRINHOS DOS PREFEITOS

Marcos Alvim, durante todo o seu governo, carregou o fardo junto com acusações, que não passaram do terreno das suposições, por ter um sobrinho que virou empresário no ramo de combustível. Até hoje, nas rodinhas que se formam por ai, o assunto é um prato para a oposição, que chamo aqui de “oposição de boteco”, pela natureza meramente especulativa, que não saem das mesas abarrotadas de cerveja e muita maledicência. Também Marcão tem um sobrinho, que faz parte oficialmente do seu governo. É secretário adjunto da saúde. Na reunião do dia 15 de março, os vereadores da oposição não ficaram nada satisfeitos com uma resposta de Rodrigo Povoa, sobrinho do prefeito, a um ofício para comparecer à Câmara Municipal, para prestar esclarecimentos. Em função disso, os vereadores Raul José de Belém, Werley Macedo e Wesley Lucas requereram junto ao presidente da Câmara o envio de ofício ao prefeito solicitando informações a respeito da nomeação do secretário-sobrinho, cópia de documentos pessoais, as funções que desempenha, jornada de trabalho e o relatório das atividades desenvolvidas. Poderiam ter evitado a saia justa, simplesmente se dispondo a comparecer na Câmara e pronto. Sem lenha na fogueira.

ARAGUARI ATLÉTICO CLUBE

Boa notícia! Finalmente, alguns abnegados torcedores do Araguari Atlético Clube vão tomar a frente da diretoria do tradicional clube da cidade. Nem uma dívida trabalhista de R$2.500.000,00 feneceu o ânimo desses jovens diretores, que querem retomar o passado de glórias e conquistas do Galo da Comarca. A área do “novo” estádio Vasconcelos Montes, localizado no trevo da BR 050 está penhorada e exigirá dos novos dirigentes muita criatividade para retomar o funcionamento pleno do tradicional clube local. O interessante da história é que a presidência do Araguari continuará nas mãos de Ubaldo Rodrigues do Nascimento, que foi reeleito e que já se licenciou do cargo por três anos, assumindo o vice, Clodomiro Luiz Gonzaga.